quarta-feira, abril 10

36 e meio



Todas a sextas de manhã era o mesmo. O corpo doía-lhe da pancada que ele lhe dava. Da pancada no corpo e da outra que ainda ia mais fundo, nódoas mais negras por ser invisíveis. Mal havia luz do dia, ela levantava-se devagarinho e sem gemer. Para não o acordar. Para não o ver chorar e prometer-lhe que não voltava a acontecer. Lavava-se, vestia-se e corria para a sapataria que ficava em frente à repartição de finanças onde trabalhava. E lá estavam eles. Vermelhos, sem preço.  Que as coisas que nos descansam os olhos não têm preço, dizia ela. E onde ias tu com uns sapatos daqueles, mulher? Perguntava-lhe a colega  de cabelo oleoso, que se enchia de bolo de chocolate trazido de casa em caixas de plástico. Até ao fim do mundo, respondia. Até que numa sexta feira, daquelas sem movimento, uma mulher que já fora bonita pediu-lhe baixinho  a  guia para pagar o selo do carro. Ela levantou os olhos do teclado do balcão e viu-lhe o rosto negro e amassado, que se tentava  dissolver na madeira do balcão. Fez um sinal à colega de cabelo oleoso. Um sinal com a mão, porque o nó da garganta não a deixou falar. Para que ficasse no lugar dela um bocadinho. Penhorou a aliança e correu até à sapataria. Ficam-lhe um bocadinho largos, mas não fazemos meios números, disse-lhe o empregado. Pediu uma palmilha de cortiça. Assim assentam-me como uma luva. Dizem, quem ainda a viu a dobrar a esquina, que apanhou o comboio das dez e um quarto.


Bolo de chocolate e avelã



200g de chocolate em barra
100 g miolo de avelã moído
150 g de manteiga
150 g de açúcar
200g de “nutella”
6 ovos
4 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de licor de avelã
Pitada de sal

Derreta o chocolate em banho maria. Bata a manteiga com o açúcar. Junte-lhe a pasta de nutella ( convém estar à temperatura ambiente). Junte as gemas uma a uma batendo muito bem. Junte  o chocolate derretido, o licor de avelã, o miolo de avelã e o sal. Bata as claras em castelo e junte-lhes as colheres de sopa de açúcar para obter um merengue. Leve numa forma redonda. forrada a papel vegetal a forno pré-aquecido a 150º durante cerca de uma hora.


Receita adaptada daqui

13 comentários:

Doces em Casa disse...

Apaixonei-me pelo aspecto deste bolo assim que vi passar a foto no feed de noticias do facebook.
Está lindo e agora sei que tem nutella :)
É pena não gostar mesmo nada de café.

**
Aida

Ilídia disse...

Às vezes, uns sapatos podem ser a libertação. Belíssimo texto!

Beijinho,
Ilídia

Addicted disse...

Que belo tão tentador...
beijinhos e um bom dia :)

Comida de conforto disse...

Comovente. Não sei se já o fazes, mas devias dedicar mais tempo à escrita...
Creio que gostarás de saber que o texto ofuscou o bolo... Que deve ser bom, de certo.
Bjs

Lurdes Losquinhos disse...

Ficou com certeza uma delicia.
Bjs

Fornadas de Miminhos disse...

Adorei o texto e o bolo assenta-lhe que nem uma luva! :D

Beijinhos,
Mafalda

Anónimo disse...

Diria mais, que nem uns sapatos vermelhos...

Susana Machado disse...

Perfeito!
beijinhos
http://sudelicia.blogspot.pt/

Ginja disse...

Um texto lindo acompanhado de tão belo bolo :)
Sedutor no seu chocolate com avelã e nutella. Um pecado delicioso.
Um beijinho.

CF disse...

Não costumo esquecer textos destes. Farei confusão, ou já o li no deserto? Tenha ou não lido, está fantástico... Beijinho CNS

CNS disse...

Não fez, não :) Este texto foi reciclado do Deserto do Mundo, com algumas alterações, como não podia deixar der ser...

bjs e bom fim de semana, CF

Blondewithaphd disse...

Ai Nutella... Na Alemanha parece que roubaram 5 toneladas dessa preciosidade cremosa.
Deve ficar um bolo que é um show... de Nutella:)

pedra de sal disse...

Que bolo... Decadente...mede ser uma verdadeira perdição, so de olhar para os ingredientes... :-)