quinta-feira, dezembro 8

Para sempre

Fazia sempre o mesmo bolo de chocolate, todos os primeiros Domingos de cada mês. Enquanto a mãe e as irmãs iam à missa, ela ficava sozinha derretendo o chocolate e misturando-o com ovos e açúcar. Fazia-te bem uma oração, Laurinda, dizia-lhe a mãe. Já não tenho nada para conversar com Deus, respondia, com os olhos tão vestidos de preto como o seu corpo franzino. E curvava-se sobre a sua dor e os tachos enquanto as outras saíam. Tenho frio, dissera-lhe uma noite. Ele, então, cobrira o seu corpo nu com uma manta velha de retalhos e dera-lhe um copo de licor. Toma, que te aquece. E ela sentira o licor de ginja escorrendo-lhe por dentro enquanto os beijos e os olhos verdes dele lhe escorriam na pele. Para sempre, dissera-lhe ele. Até que Deus nos separe. E separara. Colocava os bombons de ginja na massa de chocolate enquanto bebia um cálice do licor. Só para se lembrar do cheiro, da voz dele, num tempo ainda antes de Deus. Os sinos que anunciavam o fim da missa tocavam na mesma toada com que deitava a cobertura de chocolate, natas e licor por cima do bolo. Até que Deus nos separe, ouvia-o dizer enquanto punha mais um lugar na mesa, como fazia todos os primeiros domingos de cada mês. Não te esqueças que o senhor padre almoça hoje connosco, dizia-lhe a mãe antes de sair. Não, ela nunca se esquecia. O padre chegava, novo, vestido com um calvário antigo no rosto, e almoçavam todos no silêncio de quem não sabe o que dizer. No fim ela servia fatias do bolo com o café, e o padre ao saborear a ginja e o licor do bolo, sorria com os olhos verdes escorrendo de novo na pele de Laurinda, que parecia que o ouvia de novo a sussurrar: Até que Deus nos separe.


Bolo de chocolate com bombons de ginja





200g de chocolate
100g de manteiga sem sal
100g de açúcar
100g de farinha
4 ovos
1 colher de chá de fermento
1 colher de café de sal
16 bombons de ginja

Pré-aqueça o forno a 190º. Derreta o chocolate e a manteiga em banho-maria. Bata os ovos com o açúcar e junte o chocolate. Peneire a farinha, sal e fermento para a mistura e envolva. Deite a massa numa forma de buraco e distribua os bombons pela massa. Leva ao forno durante cerca de 30 minutos

Para a Ganache

200g de chocolate
100ml de natas
1 colher de sopa de manteiga sem sal
2 colheres de sopa de licor de ginja

Derreta, em banho-maria, o chocolate juntamente com as natas e a manteiga. Retire do lume e junte o licor, mexendo sempre. Deite sobre o bolo completamente arrefecido.


Esta receita é participação do Come chocolates pequena; Come chocolates!  no passatempo Chocolate e Picante: Um desafio de receitas com histórias dentro, promovido pelo blogue Gourmets amadores em conjunto com a Casa das Letras do grupo Leya.

15 comentários:

CF disse...

Muito bom. A receita, parece-me. O texto, excelente.

Beth disse...

Lindas recordações que este bolinho de tràz, ficou muito bonito amiga, parabens!

beijinhos

Laranjinha disse...

Olá,
o bolo e a história estão uma delícia.

Um beijinho e votos de bom feriado.

Suzana disse...

Cristina,

Entre o que separe e une duas pessoas vai uma vida e um sem número de acasos. Se o que as aproxima se apresenta em forma de fatia de bolo como esta, é de acreditar que Deus está nas pequenas coisas. Ou será o Diabo? ;)

Muito obrigada pela participação no desafio.

Um beijo*

anasbageri disse...

Eu estava à espera da tua história porque sei que para este desafio ias escrever algo especialmente belo, e aqui está. Quase como em água para chocolate, e com uma receita fantástica.

bjs

anasbageri disse...

Viste o meu comentário, ou está perdido? :(

Ginja disse...

Um bolo e uma história deliciosa.
Um beijinho.

mfc disse...

Um conto surpreendente... e não tão inverosimíl como seria suposto ser!

Ondina Maria disse...

O Sr Padre e a Laurinda, que marotos! Mas pelo menos têm sempre este bolo delicioso, para os ajudar a relembrar :)

Helena disse...

Lindo texto a condizer com uma receita deliciosa.

Susana Gomes (Gasparzinha) disse...

Num pedaço de bolo de chocolate vai uma vida de encontros e desencontros. Gostei tanto do texto. :)
Paarabéns.

Carla disse...

Lindissimo o texto e fabuloso o bolo.
Beijinhos

Rita disse...

Que texto tão original e surpreendente. Também surpreendente deve ser a primeira garfada deste bolo. Tem um aspecto delicioso! Beijinho

Moira disse...

Um texto fantástico e um bolo de chocolate pecaminoso ;)

Petiscos e Miminhos disse...

os teus textos são sempre tão bonitos...e os docinhos também!