quarta-feira, julho 25

Irmãos Grimm



As letras cansavam-lhe os olhos demasiado habituados a ver a vida passar da janela da cozinha.  Debruçava-se sobre o parapeito de braços cruzados enquanto via as pessoas de todos os dias. Atrás dela ficava sentado o irmão, de joelhos raquíticos juntos e cabeça tombada sobre um dos ombros. Atrás do irmão, um corredor estreito onde a luz chegava só a meio e que terminava numa cadeira de palhinha ao lado de uma mesa de madeira talhada em arabescos dourados. Nessa mesa havia um terço de prata e um livro, de capa azul e páginas amareladas, de um tempo em que as letras ainda corriam mais depressa que a vida das pessoas na sua rua. Quando se cansava, puxava a cortina de terylene que corria no esticador e dizia para o irmão. É todos os dias a mesma coisa, não se passa nada de novo. O irmão encarquilhava as mãos para dentro da camisola. Ela suspirava e sentia que se lhe encarquilhava a vida. Falava-lhe como se ele lá não estivesse e o olhar fugia-lhe para além do meio do corredor escuro. Levantava-se, enrolava o terço na mão enquanto soprava uma breve oração pela alma da mãe e trazia o livro até à cozinha. Corria de novo o esticador do cortinado. O irmão pestanejava incomodado pela luz. Ela, encostada ao lava-loiça silabava o título na voz embaciada pelos olhos cansados. O irmão quase sorria e esticava os dedos para fora da camisola. E ela pensava que já lera mil vezes aquelas histórias de criaturas encantadas. Histórias de florestas negras. Da rua, entrava o barulho das vizinhas. É todos os dias a mesma coisa, não se passa nada.

Gelado Floresta Negra


Gelado de Chocolate:

300g de chocolate preto
100g de açúcar
200ml de natas
500ml de leite
4 gemas
200 ml de natas
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de sopa de licor de ginja
Cerejas em calda

Leve a lume brando o leite, as natas e chocolate até este derreter completamente. Bata as gemas com o açucar e adicione o preparado anterior lentamente. Leve novamente ao lume até engrossar ( sem ferver). Deixe arrefecer totalmente e leve à sorveteira.
Para montar:
Batas as natas em chantilly com o açúcar e o licor. Sirva com o gelado decorado com cerejas em calda.



4 comentários:

foodwithameaning disse...

Parabéns pelo texto e pela frescura achocolatada que emana do gelado.
Um beijinho.
Patrícia

Claudia Sousa Dias disse...

Chomp Chomp...!

Diana disse...

Foi muito criativa sua postagem. ótimo mesmo. E essa floresta negra então heim. Estou babando aqui
bjos

Blondewithaphd disse...

Benvinda à minha terra!!