quinta-feira, novembro 24

Cantigas do Maio

Usavam ambas risco ao meio e o cabelo escorrido pelas costas. À noite vinham fumar à varanda. Falavam baixinho com vozes delicadas e cheiravam a incenso. Eu espreitava-lhes os vultos da minha janela. As conversas delas escorriam pelo tempo do parapeito, enroladas no fumo do tabaco e na música baladeira que saía de dentro do apartamento decerto tão diferente do dos meus pais. Também vinham à varanda nas manhãs de Domingo, e enquanto eu esticava as meias de croché pelo joelho, as meias de ir à missa, elas comiam panquecas saídas dos filmes americanos e bebiam café por canecas. Eu mirava-lhes as saias compridas pelos tornozelos e as alpercatas chinesas bordadas no peito do pé. E as baladas cantadas pelo homem de voz triste. As mesmas que o meu pai desligava com a indiferença politica, quando tocavam no rádio. Tens lume? Perguntou-me um dia uma delas, anos depois do tempo da varanda. A voz dela ainda pingava por entre as baladas do homem de voz triste. Tens lume? Baixei os olhos e senti uma das meias de croché a resvalar pela perna. Não. Não fumo. Nunca fumei.


Paquecas com molho de framboesa

Para as panquecas

1  e ¼  chávena de farinha sem fermento
1 colher de chá de fermento em pó
1 ovo
1 chávena de leite
1 saqueta de açúcar baunilhado ( aproximadamente 10g)
30g de manteiga derretida sem sal

Misture a farinha, o fermento e o açúcar. Bata o ovo com o leite e misture com a farinha e o açúcar. Junte a manteiga derretida. Aqueça uma frigideira anti-aderente  e deite colheradas de massa. Deixe cozinhar  em lume  brando até que faça bolhas à superfície. Volte e deixe cozinhar 1-2 minutos.


Para o o molho

300g de framboesas congeladas
1/3 chávena de açúcar
1 colher de chá de raspa de limão

Leve as framboesas ao lume com o açúcar e o a raspa de limão. Deixe ferver durante 6 minutos (verifique se as framboesas se desfizeram todas). Coe o molho por um passador de rede para tirar as sementes. Sirva com as panquecas.

6 comentários:

Beth disse...

mt gulosas estas paquecas e bem colorigas!

Beijinhos

Claudia Sousa Dias disse...

Eu também nunca fumei. Nunca me seduziu nem o cheiro do tabaco queimado nem o acto de fumar, apesar de a Rita (Hayworth) e a Soraia (Chaves) fazerem disso o expoente máximo da sedução. Mas isso talvez seja porque elas são indubitavelmente magnéticas.

Já as panquecas com molho de framboesa...magnéticas não sei se serão, mas são inquestionavelmente irresistíveis!

mfc disse...

Estas descrições intimistas, como se tudo se passasse dentro de nós... são belíssimas!

Maria João Clavel disse...

Que descrição fantástica, que texto maravilhoso, que vontade de comer panquecas...

Manuela disse...

Como sempre, um texto fantástico. E as panquecas... acho que vou fazer para o pequeno almoço!!!
Bom domingo e bjnhos

Diogo Marques disse...

Isto sim é um pequeno almoço hehe!

Ficaram uma maravilha e com esse topping...melhor ainda!