domingo, janeiro 29

Estefânia

Foi assim que eu ganhei minha roupa de poeta. Fiquei tão lindo que Tio Edmundo me levou para tirar um retrato (O meu pé de Laranja Lima, José Mauro de Vasconcelos)

Há quase trinta anos que não me lembrava da mãe de Zézé.  Do quanto ela me parecia velha, mas uma velha feita daquele tempo precoce que nasce do cansaço. Que nela era imenso, arrastando-lhe o português macio dos parágrafos por onde passava. Há quase trinta anos atrás imaginava a mãe de Zézé, sem nome, com olhos pardos, tristes e mergulhados no alheamento que todos os pais cansados pareciam ter. Do Zézé lembro de estar sempre por cima do seu ombro, fosse no carro do português, fosse perto do seu pé de laranja-lima.
Ontem a mãe de Zézé, Estefânia, voltou-me às mãos, num acaso, vestida de novo naquela capa azul roída nos cantos, que as mudanças têm destes retornos.  Pareceu-me mais nova. Os olhos tinham ganho cor nos últimos trinta anos. Podia-me cruzar com ela e perceber-lhe o peso que lhe curvava os suspiros. Ontem vi o Zézé da janela da cozinha. Ralhei com ele sem o ver e de voz arrastada. Ontem os meus olhos sentaram-se cansados no alpendre da cozinha.

Tarte de Laranja e Lima



Para a base:
100g de manteiga sem sal
200g de farinha sem fermento
1 colher de sopa de açúcar
 2 -3 colheres de sopa de água fria
pitada de sal fino

Misture a farinha, com o sal e o açúcar. Esfarele a manteiga bem fria até obter uma textura granulada. Junte a agua fria e faça uma bola com a massa e leve ao frigorífico durante meia hora.
Estenda a massa e forre uma tarteira. Leve a forno pré-aquecido a 180º durante 20 minutos.

200 ml de sumo de laranja
100g de manteiga sem sal
Raspa de 2 limas
125g de açúcar
3 gemas
3 ovos inteiros

 Pré-aqueça o forno a 180º. Leve ao lume o sumo de laranja, a manteiga, a raspa das limas e o açúcar, até derreter a manteiga. Bata as gemas e os ovos e junte a mistura de laranja cuidadosamente,  para não talhar. Leve ao lume até engrossar e deite na tarteira, já com a base de massa quebrada previamente cozida. Leve ao forno por 10 minutos.

Recheio adaptado da Tarte au citron de David Lebovitz

A confeitaria aceitou o mote  Hoje para jantar,  a decorrer no blog Anasbageri, e convidou a Estefânia do Meu Pé de Laranja Lima de José Mauro de Vasconcelos

15 comentários:

Pammy Sami disse...

Magnifico excerto Cristina, é um dos livros preferidos da minha mãe, mas nunca o li... A ver se o encontro um dia destes :)
A tua tarte, assenta que nem uma luva! Adoro tartes citricas mmmnhhh :)
Boa semana*

Ondina Maria disse...

Esta tarte deve ser uma delícia. Tendo citrinos já é meio caminho andado para o sucesso :)

guida c disse...

Que bom recordar "O meu pé de laranja lima"!
E este post até daria para a participação no desafio da Anasbageri. A Estefânia para lanchar...
Uma receita a replicar!

Mar Arável disse...

Boa memória

Laura Ferreira disse...

Belíssimo livro, um dos da minha infÂncia.

Margarida disse...

Adorei esse livro! E essa tarte deve ser tudo de bom. :)

anasbageri disse...

A reunião de um livro que marca a infância de todos nós com esta receita fantástica, acompanhada por mais um dos teus textos que leio vezes sem conta sem me cansar. Não podias ter escolhido melhor.

bjs

mfc disse...

Há sempre uma altura em que o nosso cansaço nos impede de ver o cansaço dos outros... porque o nosso se sobrepõe ao deles!

Luis Eme disse...

e esta? Estefânea com Laranja Lima?

:)

Mané disse...

depois de ter conhecido o teu blog e de ter dado uma olhadela só posso dar os PARABÉNS e ficar seguidora
:)

George Sand disse...

Assim que olhei para a fotografia, lembrei-me de "O meu pé de laranja Lima. Lido no quintal, à sombra de uma figueira, depois da praia...livros e memórias de infância

Moira disse...

Bela tarte!
Fiquei com vontade de reler "Meu Pé de Laranja Lima" que me trouxe lembranças tão longínquas. Devia ter os meus 14 anos quando o li pela primeira vez :)
Beijinho

Carla disse...

Que combinação deliciosa: a tarte e o livro.
Beijinhos

Maria disse...

Cara Cristina. Não sei como não prestei mais atenção ao seu blog. É magnífico... muitos parabéns.

Alice disse...

Adorei o texto e a participação! E adorei chegar aqui conduzida por este fantástico desafio criado pela Ana!
Essa tarte é mesmo uma escolha perfeita:)
Beijinhos e até breve:)