quinta-feira, janeiro 5

Irina



Ao fundo do corredor, o silêncio é quebrado pela água que passa no escorredor do balde. Arruma metodicamente as tolhas turcas ainda mornas do ferro de engomar. Separa as brancas das de cor e coloca entre elas pequenos sabonetes de alfazema embrulhados em saquinhos de organza. Depois, passa a esfregona em círculos lentos, mas perfeitos, no chão, deixando os azulejos pretos e brancos impregnados de lixívia, sabão e sombras de fim de tarde. Os cabelos finos, de um louro improvável soltam-se do travessão preto em forma laço. Pára, por um instante, em frente ao espelho e sem se ver num gesto lento quase gracioso limpa a mancha de bolor que teima em aparecer no canto sem luz. O relógio da sala, relembra-a que é hora de sair. Arruma os detergentes no armário por de baixo do lava-loiça, prende os cabelos soltos com ganchos de noiva e uma rede, guarda o envelope com dinheiro e o quadrado de bolo de chocolate que a patroa lhe deixa sempre em cima da mesinha de entrada. Não gosta de chocolate, pensa enquanto tranca a porta com quatro voltas. Atravessa o quarteirão, e abre outra porta, que não tem trancas, só uma fechadura velha por onde se escoa a música das aulas. Calça as sapatilhas e os olhos azuis ganham luz. Cumprimenta as alunas, alinhadas em duas filas, numa língua que lhe ainda é estranha. E antes de ligar o gravador repara que as suas mãos ainda cheiram a lixívia.



Brownies





150g de chocolate preto
125 g manteiga sem sal
200g de açúcar
5 ovos
50g de cacau em pó
1 colher de chá de essência de baunilha
125g de farinha sem fermento
pitada de sal fino

Aqueça o forno a 170º. Unte uma forma quadrada com manteiga e forre-a com papel vegetal. Derreta o chocolate com manteiga em banho maria. Bata os ovos com o açúcar e junte o cacau. Misture bem e junte o chocolate derretido com a manteiga. Adicione a baunilha e o sal e depois a farinha envolvendo-a cuidadosamente. Deite a massa na forma quadrada e alise-a. Leve ao forno cerca de 25 minutos. Desenforme e corte em quadrados depois de frio.

10 comentários:

Beth disse...

Estão simplesmente fantàsticas eu jà me servia amiga pois ficaram com um aspedcto muito delicioso.

Beijinhos e feliz ano 2012, tudo de bom amiga

Ondina Maria disse...

Gosto de brownies: da sua consistência e textura, do sabor forte a chocolate, do leve crocante da crosta :)

Paula Crespo disse...

É o retrato de um grupo específico de imigrantes. De um lado a esfregona; do outro, as sapatilhas de ballet...
Bom texto e bem articulado!

Blondewithaphd disse...

Ó Nossa Senhora, é que até as fotos são um encanto! Imagino a dedicação a prepará-las.

Mané disse...

Gostei dos Brownie e da envolvente introdução
:) Bom ano

mfc disse...

Descrevemos tristemente as rotinas dos outros, esquecendo as nossas!
Nós é que observamos(os outros)... raramente nos observamos(a nós)!

Babette disse...

Uma história possível com a certeza de poder vir a ser aplicada a cada vez mais pessoas, independentemente da nacionalidade. Os brownies estão irresistíveis!
Beijo
Babette

anasbageri disse...

Quae nem reparava nos bolinhos de tão envolvida que fiquei com o teu texto. Uma estória que infelizmente é a realidade de cada vez mais pessoas.

um beijinho e até breve.

Mar Arável disse...

Não é fácil

a linguagem dos espelhos

Patti disse...

Há cada vez mais Irinas.
E não só: Isabéis, Joanas, Ritas, Marias, Paulas, Susanas, Catarinas...

Adorei.