quarta-feira, fevereiro 1

Sucessão

Somos apenas uma soma não comutativa de acontecimentos e escolhas. Sem credos em dons ou inspirações. Somos pouco mais que a sinuosidade do caminho, que teimamos em acreditar curvo,  pois as rectas desembocam em horizontes demasiado nítidos para os nossos medos. E enquanto a mulher de unhas postiças me falava em destino e outras opressões,  pensei que deveria ter juntado mel aos caramelos que comia.


Caramelos de mel e flor de sal


250 ml de natas
75g de manteiga sem sal
1 colher de  chá de flor de sal
350g de açúcar
60 ml de mel
50 ml de água
2 colheres chá de baunilha

Leve o açúcar, o mel e água ao lume até fazer ponto de caramelo. Entretanto leve as natas, a manteiga e a flor de sal a lume brando e apague mal levante a fervura. Adicione as natas quentes ao caramelo e junte a baunilha. Deixe apurar em lume brando durante 10 minutos. Forre um tabuleiro com papel vegetal untado com manteiga e leve ao frigorífico até solidificar. Depois de solido, corte em pequenos cubos e embrulhe em papel vegetal.

Receita adaptada de Ina Garten

11 comentários:

Vera Ferraz disse...

Que cor maravilhosa! Estão com um ar fantástico! Estão na minha lista de coisas para fazer ;)

tila disse...

lindos os teus caramelos.
Bjkas

Ondina Maria disse...

estes cubinhos de caramelo estão mesmo apetitosos, têm um ar fresco e já os sinto colarem-se-me aos dentes :)

Paula Crespo disse...

Destinos e outras opressões... subscrevo inteiramente! São superstições como outras quaisquer.

Mia disse...

Que aspecto divinal!

http://pegadafeminina.blogspot.com/

Babette disse...

Lindos e muito apelativos, como devem ser os caramelos perfeitos!
Babette

J. disse...

ja tenho receita para este fim-de-semana! ;)

anasbageri disse...

Palavras sábias e uns caramelos de fazer sonhar, deixaste-nos a saída perfeita para um gelado fim-de-semana.

bjs

Mar Arável disse...

Uma delícia só de ler

mfc disse...

Temos que adoçar um pouco a nossa vida, senão ela é amarga demais!

catarina disse...

Adorei o blog... o de comer e o de ler.
Estes caramelos estão com um aspeto divinal!
É "aquela mão" nos doces, como sempre...
Beijinhos,
Catarina.