sexta-feira, julho 19

Amélia



   
        Quando percebeu, tinham passado trinta anos lá fora. Todos sabiam  menos ele. Que continuava a afastar os cortinados do seu primeiro andar com os dedos, sempre que ouvia na rua um Citroen dois cavalos. Era azul, e ela usava uma boina branca. Buzinava e subia todas as segundas feiras quando voltava do conservatório. Quando percebeu que tinham passado trinta anos lá fora decidiu que nunca mais seria segunda feira. E na manhã de terça lembrou-se que nunca tinha chegado a beijá-la.

3 comentários:

Mafalda disse...

:)

joão marinheiro disse...

Pois...o tempo voa e ficam as vontades por terra, também me dou conta...
abraço sem tempo...

Joaninha Musical disse...

Super lindo isso que escreveste. Gostei muito. Até breve!!