domingo, março 4

Grená

Todas as manhãs, à hora do intervalo, aparecia ao portão de vestido garrido e olhos pintados de verde berrante. Entregava a lancheira com pão com creme de chocolate por entre as grades ao filho. Uma criança gorda e belfa, que corria com os joelhos para dentro e usava uma pulseirinha de prata com o nome gravado no pulso branco e leitoso. Luís Filipe. Ficava sentado, sozinho no banco por debaixo do alpendre da escola de boca e dedos lambuzados pelo chocolate. Foi o melhor que lhe aconteceu, diziam as contínuas de braços cruzados  por debaixo dos casacos de malha que usavam apenas por cima dos ombros. E ela afastava-se no seu vestido garrido deixando um rasto enjoativo a perfume. Recebeu uma fortuna do seguro de vida do marido. Morreu logo, num cruzamento lá para os lados de Alcobaça. Luís Filipe continuava sentado no banco de pedra, deixando dedadas de chocolate nos óculos, sempre que os ajeitava. Foi o melhor que lhe aconteceu. Dizem que o marido a trancava em casa com os ciúmes. Agora não pára em casa. Ela dobrava a esquina no seu passo lento e leve e eu ficava a lembrar-lhe as mãos longas de unhas pintadas de um vermelho intenso quase grená,  que afagavam todos os dias o rosto do filho. Umas mãos  tão diferentes das mãos das contínuas que se sentavam à porta da sala a fazer rosetas de croché para colchas intermináveis.  Luís Filipe levantava-se, limpava o chocolate da boca e juntava-se aos outros. Ela, a mãe, seguia sozinha com as suas mãos de unhas longas e vermelhas libertas na cor do vestido.

Lembrei-me disto, ontem, quando me perguntaram quando é que tinha começado a escrever. 


Bolachas de Nutella



Para cerca de 18 bolachas

190g de farinha
1colher de chá de fermento em pó
1 colher de sopa de cacau
150g de Nutella
30g de manteiga sem sal
125 g de açúcar
1 ovo
30 ml de leite
1 colher de sopa de café expresso
150g de avelãs
70 g de açúcar em pó
pitada de sal

Bata o Nutella com a manteiga e o açúcar. Junte ovo, o café e o leite e bata até obter um creme bem fofo. Misture a farinha, o fermento e sal e junte à mistura anterior. Junte metade das avelãs picadas. Leve ao frio pelo menos durante 2 horas. Depois tenda bolinhas e passe-as pelas restantes avelãs picadas e pelo açúcar em pó. Leve-as a forno pré-aquecido a 180º durante 10 minutos.

Receita tirada daqui

8 comentários:

Maria disse...

Resisti e não fui a Óbidos. E estou a 5 km...
Mas há bocado não resisti e fui fazer uma receita de lemon curd. My god, está quase todo comido.....

Beijo.

mfc disse...

Tens o condão de em rápidas, mas cuidadas pinceladas, nos descreveres um ambiente em que os personagens se encaixam na perfeição.
Beijos.

Luisa Alexandra disse...

Que delícia de biscoitos!

Claudia Sousa Dias disse...

um dia, também pinto as unhas de grenat...

Mané disse...

que tentação, Se dou uma trinca...não vai sobrar nenhuma~:)

anasbageri disse...

As rosetas, a cor do verniz, o nome a pulseirinha, detalhes que nos transportam de imediato para outro local. Como sempre um texto maravilhoso.
um abraço e boa semana

Luis Eme disse...

estranhamente belo.

beijinhos Cristina

Sofia Arcângelo disse...

Que bolachas tentadoras! Beijinhos