sexta-feira, outubro 26

Familia


Os dois irmãos e as duas cunhadas vinham sempre para o almoço de  Domingo, que raramente acontecia ao Domingo mais sim ao Sábado.  Ao principio pensou-se que seria por causa da hora da missa, a qual por a mãe nunca falhar, poderia atrasar o servir do almoço. Mas depois verificou-se que apenas tinha a ver com o dia da praça e a frescura dos legumes. Os dois irmãos e as duas cunhadas  vinham sempre para o almoço de Domingo e a mãe servia sempre a carne assada e a acompanhar um soufflé murcho e gorduroso. Os dois irmãos e as duas cunhadas, sentavam-se à volta da mesa que tinha mais de oval do que redonda,  separados pelos filhos de um, que o outro nunca tivera filhos. A mulher deste  era a mais calada, de uma magreza excessiva que ela perpetuava numa frugalidade zangada. Tão zangada como permanente cor  amarelada e escamada da pele do rosto, que diziam ser do tabaco. Mas que todos sabiam ser do azedume com  que nascera. A outra, tinha o rosto redondo, e excesso de palavras. A voz dela corria em ruído de fundo durante todo almoço. Ostentava um sorriso tão excessivo quanto a magreza da outra, que só desaparecia por detrás do guardanapo cheio  de nódoas de molho.  A magra revirava os olhos sempre que a gorda falava na sua voz  estridente e ansiosa. Daí que se calculasse que não gostavam uma da outra.  Depois vinha a sobremesa. A magra suspirava de enjoo enquanto a outra dizia, só posso comer um bocadinho, que estou de dieta. Todos sorriam. A mãe servia a mousse de chocolate em tacinhas de vidro de acastanhado.  É só mesmo um bocadinho, insistia.  O pai deitava rum ordinário na mousse para disfarçar o sabor do chocolate, de que nunca gostara. A magra acendia um cigarro. Não fumes à mesa, dizia um dos irmãos. E todos comentavam o quanto os irmãos eram parecidos. A mãe rapava a mousse para uma ultima taça e dizia, podiam ser gémeos.


Soufflé de Chocolate, rum e coco





100g de chocolate
3 +2 colheres de sopa de açúcar
40 ml de natas
2  ovos + 1 clara
1 colher de sopa de rum
Coco ralado para polvilhar

Pré-aquecer o fornoa 200ºC. Barrar forminhas  de soufllé com uma camada espessa de manteiga, polvilhar com açúcar, retirando o excesso. Levar ao frigorífico.
Colocar o chocolate as 3 colheres de sopa de açúcar numa tigela refratária sobre uma panela com água fervente e, mexer sempre, até o chocolate derreter. Retirar do lume e juntar as natas. Juntar a colher de sopa de rum Deixar o chocolate arrefecer por cerca de 5 minutos e, depois, uma a uma, bater as gemas.
Bater as claras e quando estiverem firmes, juntar o restante açucar até ficarem com ar brilhante.Envolver um quarto das claras no chocolate, e acrescentar delicadamente as claras restantes. Deitar a massa nas forminhas, colocar sobre uma assadeira e levar ao forno, durante cerca de 20 minutos Quando estiverem prontos retire-os do forno e polvilhe-os ainda quente com abundante coco ralado. Servir de imediato


Receita publicada para o desafio Dories às Sextas

8 comentários:

Anónimo disse...

Que tortura esse almoço, mais valia nem existir :P. Só que combina bem com a receita, apesar de achar que o rum não incobre o sabor do chocolate, que aqui é rei. Gostei muito da receita, mas é daquelas que necessita que o tempo seja bem controlado... senão!
A foto está linda com aquela sombra por trás :)


Beijinho

Cidália disse...

Esse almoço só valia a pena pela comida!!
Gostei da sugestão, deve ficar bem levezinha a massa.

Rachel disse...

Já me ri com esta família!

O aspecto "espumoso" é tão cativante :-)

Luis Eme disse...

há muitas famílias assim.

o resto promete quase muito.

beijinhos Cristina

Ricardo Tiago disse...

mas que belo souflé. adorei!
Beijinhos e bom domingo

Blondewithaphd disse...

Engraçado, 26 de outubro são sempre dias felizes para esta família Blonde.

Manuela Teixeira disse...

Huuuum! Que aspeto! Um souflé cremoso, fofo, maravilhoso,...

Bjnhos e um fim de tarde inspirador.

http://saborescomtempo.blogspot.pt/

Rosita Vargas disse...


Lindo y muy bien hecho,abrazos y abrazos.